“As cores, quando bem escolhidas, são intemporais”

 

Nas consultorias de cor que  fornece Joana Dias Almeida procura “perceber os espaços, mas sobretudo as pessoas”. “A faixa etária em que se inserem, a atitude, o estilo, os gostos e a forma como se expressam” devem ser percebidos, na opinião da arquitecta e autora do blog  COXIM-interiordesign.blogspot.com , que esteve presente no projecto Pintar Antes de Pintar da CIN, como color adviser

1) Se pudesse dar um só conselho sobre cor a todos os portugueses, qual seria? A escolha da cor para os espaços da nossa casa é fundamental para uma tranquila e agradável vivência nestes espaços. Aconselho vivamente o uso controlado de cor. Mas na hora de escolher, seleccionem as cores com as quais se identificam mais, por transmitirem vibrações positivas. Não se deixem influenciar pelas “cores da moda” pois são efémeras.

2) Quais os principais problemas/ questões que as pessoas colocam a uma color adviser? Enquanto color adviser e arquitecta, são inúmeras as vezes em que sou confrontada com dúvidas e questões relacionadas com a escolha de cores, tipos de tintas e padrões.  No que toca à escolha de cores, em geral, as pessoas têm bem definidas as suas preferências cromáticas. A dificuldade prende-se com a escolha das tonalidades por entre a enorme colecção de tons disponíveis. Nestas situações, é importante perceber o contexto onde a cor vai ser utilizada, e com base na iluminação natural e na área do espaço, procuro um tom que seja do agrado do cliente, e que ao mesmo tempo esteja em sintonia com as condicionantes do espaço. Outra questão muito frequente tem que ver com o desejo de mudança contrabalançado com o medo de arriscar. Muitas vezes, quando não há um acompanhamento profissional, este dilema é resolvido com a opção “Brancos e Beges”. Todavia, com a assistência de um color adviser, acabam por abandonar esta tendência e apostar numa nova cor.
Nestes casos de resistência inicial, sugiro a utilização de cores mais suaves, que transmitam tranquilidade e conforto, ao mesmo tempo que dão personalidade a cada espaço. Os novos brancos. Por exemplo: nas Tendências 2012 CIN, as minhas escolhas recaem no: Azul Pérola, Mistral e Cinza Dandy.

3) As tendências de cor mudam todos os anos. É possível estar na moda sem repintar constantemente um espaço? Claro que sim! Qualidade é sinónimo de intemporalidade, e as cores quando bem escolhidas, são também intemporais. Nas minhas consultas de cor procuro perceber os espaços, mas sobretudo as pessoas. A faixa etária em que se inserem, a atitude, o estilo, os gostos e a forma como se expressam.
Depois desta análise, torna-se mais fácil chegar a uma “cor certa”, que irá funcionar e interagir harmoniosamente com o espaço, durante muito tempo.
Para quem procura este tipo de cores, as cores chamadas seguras, tenho por regra sugerir tonalidades neutras. Por exemplo, os vários tons de cinzas: mais brancos, mais escuros ou azulados, são excelentes! Funcionam com qualquer estilo de decoração por serem cores sofisticadas e elegantes. E, quando conjugadas com bases brancas, permitem-nos utilizar cores mais vibrantes nos restantes elementos decorativos, por exemplo, em almofadas e outros objectos de decoração. Contudo, para clientes com gostos mais arrojados, procuro sempre sugerir duas ou três tonalidades mais divertidas, para um dia mais tarde, conjugarem com as cores da base em pequenos apontamentos ou no hall de entrada, corredores ou numa pequena parede de transição de espaços. Com estas sugestões poderão, com segurança, recriar e personalizar espaços de forma bastante económica, uma vez que não têm que adquirir muito produto e a pintura pontual de uma pequena divisão ou parede não necessita obras aparatosas.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *