Vencedora do CIN RE-MAKE’12

“Toda a gente precisa de cor na sua vida”, defende Joana Fiuza Gomes,  a grande vencedora do concurso do CIN RE-MAKE’12 , que ajudou a tornar a capital mais colorida. Natural de Lisboa, e com 19 anos, a estudante do 2º ano de Design de Comunicação na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias conta-nos o que a levou a participar no passatempo e qual a sua fonte de inspiração.

O que a levou a participar neste projecto?
Quando vi pela primeira vez os murais fiquei curiosa e fui-me informar sobre o projecto e o que era necessário fazer para participar, o problema era que tinha muito trabalho para o meu curso e era quase impossível de fazer. Até que a minha professora de Design nos propôs o mesmo projecto e até nos encorajou a enviar os projectos e assim foi.

Qual o significado que a cor tem na sua vida?
Nunca tive jeito para palavras por isso recorria, e ainda recorro, ao desenho e à arte. Em todos os meus trabalhos tento utilizar o maior número de cores possível porque para mim as cores são uma fonte de inspiração e transmitem uma panóplia de sentimentos. Desde de pequena que as cores me fascinam e não consigo imaginar a minha vida sem cor. Foi por isso que a curta metragem “Cidade Colorida” me causou impacto, a verdade é que toda a gente precisa de cor na sua vida.

Como divulgou a sua proposta?
Divulguei a minha proposta através do Facebook e através de amigos e familiares.

Qual a sua opinião sobre o projecto CIN RE-MAKE?
Creio que o projecto CIN RE-MAKE é uma grande oportunidade para expor o nosso trabalho e uma forma de transmitir a força e a energia das cores e de inspirar a vida das pessoas.

Qual o o conceito criativo que a levou até ao trabalho final?
O objectivo do passatempo é colorir a cidade e mostrar o poder da cor e a sua capacidade de transformar o mundo.
O meu conceito pretende representar o poder da cor no momento de reviravolta da curta-metragem, isto é, quando a rapariga chora e as lágrimas, que representam o amor, transformam a cidade em cor e em sentimentos. Criei um trabalho abstracto repleto de cores. As lágrimas caiem e ao se juntarem, unem-se conseguindo a força para pintar de cor a cidade de Lisboa. As gotas têm várias cores para dar mais dinamismo e para mostrar o poder do amor e da cor.
No fundo preto encontra-se um mapa de uma cidade a precisar de cor, tal como a cidade de Lisboa.

De que forma acha que ser vencedora deste passatempo pode ser importante no seu futuro?
Este foi o primeiro projecto que alguma vez ganhei enquanto estudante de artes. Foi muito gratificante e motivador para futuros trabalhos. Ensinou-me a confiar mais em mim e em não desistir mesmo quando existem críticas negativas e que afectam as minhas futuras escolhas. Um pouco de cor na vida dá-nos alento para continuar e não desistir dos nossos projectos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *